Revista Brotéria

  

Dezembro de 1951 Volume 53

Voltar


505  Aspectos cruciais do problema de Fátima
A. VELOSO
520  Os pródromos do acto da fé na encíclica «Humani Generis»
Julião PÉCANTET
526  Os planos agressivos da Rússia no Extremo Oriente
Nicolau BELINA-PODGAETSKY
536  A Visão romântica do claustro
Luís J. ARCHER
552  Política externa — Novos caminhos
Luís Vieira de CASTRO
554  O sonho da televisão
Abílio MARTINS
567  Francisco Sanches — No IV centenário do seu nascimento
Severiano TAVARES
579  Arte ecuménica
J. da Costa LIMA
589  Revista de Revistas. Moral e religião no mundo do trabalho

590  Revista de Revistas. A juventude norte-americana ante as drogas e estupefacientes
José A. SOBRINO
591  Revista de Revistas. Os irmãos de Jesus
Francisco SOLE
594  Revista de Revistas. A luz do sódio e suas aplicações práticas


Revista Brotéria

Revista Brotéria

Contacto António Júlio Trigueiros, SJ
Director
Contacto
Contacto António Vaz Pinto, SJ
Conselho de Direcção
Contacto
Contacto Francisco Correia, SJ
Conselho de Direcção e Redacção
Contacto
Contacto Vasco Pinto de Magalhães, SJ
Conselho de Direcção e Redacção
Contacto
Contacto António Vasconcelos de Saldanha
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Carlos Capucho
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Francisco Malta Romeiras
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Francisco Sarsfield Cabral
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Guilherme d'Oliveira Martins
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Henrique Leitão
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Joaquim Sapinho
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto José Carlos Seabra Pereira
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Manuel Braga da Cruz
Conselho de Redacção
Contacto
Contacto Miguel Corrêa Monteiro
Conselho de Redacção
Contacto

Índice Maio/Junho 2017

 Descarregar PDF

MAIO/JUNHO 2017 - "Estado, Igreja e Fátima"

O anticatolicismo português, manifestando-se geralmente como anticlericalismo e anticurialismo, tem raízes profundas. Nos Estados católicos do sul da Europa – Nápoles, França, Espanha, Portugal –, remonta à segunda metade do século XVIII e ao absolutismo iluminista dos ministros Tanucci, Choiseul, Aranda e Pombal. É com eles que começa a primeira ofensiva moderna anti-religiosa – a guerra contra a Companhia de Jesus, vista como uma milícia supranacional ao serviço do Papa de Roma.

Ler artigo

ABRIL 2017 - “Meu Deus, Porque Me Abandonaste?”

Num encontro com o Papa Francisco, uma vítima de abuso disse com profunda tristeza e desespero: “Jesus tinha consigo a sua mãe quando viveu a sua Paixão e Morte. A minha mãe, a Igreja, abandonou-me na minha dor e na minha solidão”. Nesta frase pode ser reconhecido parte do horror do abuso, no que respeita especificamente ao abuso sexual de menores em contexto eclesial, e o que a Igreja e em particular os seus membros em posições de responsabilidade têm de mudar.

Ler artigo

You are here: Página Inicial